Atendimento em Restaurantes: Qual o mistério?

A pergunta que não quer calar é a seguinte: Por que é tão difícil para os restaurantes adotar o sistema de atendimento que é usado nos Estados Unidos? …óbvio, fluido e lógico?

Não há mistério algum…. o cliente chega, o garçom os cumprimenta, entrega os cardápios, e tira o pedido das bebidas ANTES do pedido dos pratos…
Enquanto o garçom traz as bebidas, os clientes tem tempo de sobra para verificar o menu e escolher sem pressão…
Nada pior do que você estar SEM bebida e com um garçom com o bloquinho (ou mini tablet) na mão olhando para você esperando que escolha seu prato, e ah, verdade, escolher as bebidas…

Outra coisa que me chama a atenção é a falta de preparo dos atendentes na resolução de problemas; dos mais simples aos mais complicados.
Semana passada fomos à um café aqui em Curitiba e, Bruno, meu amigo/irmão pediu pancakes com geleia caseira de frutas vermelhas.

Quando veio o pedido, apesar de uma cara ótima, a geleia não estava boa… provavelmente fermentada e começava a apresentar sabor residual amargo. Ou seja, “not good“.

Chamamos a atendente, explicamos a situação e a resposta dela foi: “Mas a geleia nós mesmo que fazemos…”. quase disse à moça “pior ainda, jogue tudo no lixo!”
A proposta de resolução do problema foi: “O senhor quer que eu traga outra coisa, como maple syrup?”… Foi o que ela fez, SEM trocar as pancakes todas cagadas de geleia ruim… e com uma carinha de “ai, que povo chato…”.

Nessas horas entoo 50 mantras, respiro cachorrinho para não dizer: “Minha filha, qual parte do retire-o-prato-peça-desculpas-e-ofereça-novas-pancakes-com-maple-syrup-sem-perguntar-muita-coisa-você-não-entendeu?”

Prezados donos de restaurantes, bares e cafés… POR FAVOR, invistam em treinamento para que situações como essa não maculem a imagem de seus estabelecimentos…

Se reclamamos, é porque queremos continuar frequentando seu local.

Beijo do Vavinho

Leave a Reply