O Que Seria do Mundo sem Pizza?

A resposta é… um mundo nas TREVAS!

Se existe uma coisa que consegue me tirar de qualquer dieta, ou me fazer perder o controle facinho, como atacar a geladeira de madrugada… PIZZAAAAAAA!
Várias pessoas perdem o controle com chocolates e doces. No meu caso, é pizza. Pizza, Calzone, Deep Dish, Stromboli, Focaccia, Flatbread, qualquer estilo, qualquer forma está valendo!

Meu irmão sempre ria de mim quando, ao pedir pizza, eu não precisava procurar o número da pizzaria… já o sabia de memória.
A adoração por pizza sempre existiu, porém “fazer” a pizza foi para mim, por muito tempo um tabu. Achava tudo complexo, a massa, o fermento, crescer a massa, esticar… tudo era um pesadelo.
Até que um belo dia, eu decidi fazer a massa em casa –  seguindo uma receita, é claro. Confesso que não ficou de todo mal.
E, uma vez que aprendemos como, a preparação, como funciona a dinâmica…ah, fica tudo bem mais fácil. E de repente, começamos a variar receitas de massa (que não tem muitas) e testar novos ingredientes.

Pizza acabou se tornando uma das minhas especialidades. E o povo adoooora!
Os puristas sempre escolhem tipos de farinha de trigo especiais e importadas, mas na verdade, a pizza verdadeira é feita com ingredientes simples e fáceis de serem encontrados em qualquer mercado: água morna, azeite de oliva,sal, açúcar, farinha de trigo e fermento biológico. Eu ainda uso semolina para massas mais elaboradas em ocasiões especiais. Outro detalhe importante e curioso: A pizza brasileira é bem diferente da italiana: praticamente todas levam muita mozarela. Já as italianas, apenas algumas.

Preparo a massa de duas maneiras. Sovada na mão e na batedeira, a qual sempre fui relutante em usar, mas confesso que me rendi a ela. Consigo uma massa leve e uma textura que não consigo na mão.
ãããããêêêêê
Você vai precisar de um forno bem quente. Se tiver um elétrico, melhor ainda. O controle de temperatura dele é melhor do que o a gás e atinge temperaturas mais altas.
Eu consegui uma placa cerâmica onde você assa a pizza diretamente sobre ela. Vale muito a pena o investimento, e não é tão cara assim.
Outra coisa que aprendi com a Domino’s, foi usar farinha de milho misturada a farinha de trigo na hora de abrir a massa. Por que? Ela confere à massa uma crocância maravilhosa! Experimentem, vocês vão adorar!

O post de hoje é dedicado inteiramente à pizza, porque afinal, hoje é o Dia Mundial da Pizza!

Fatos:
De acordo com uma revista Norte-Americana dedicada à culinaria:
– 80% das pessoas come pizza com talheres ou com a mão sem dobrá-la? 20% dobram a “bordinha”.
– 87% dizem que aliche “nem pensar”
– 37% a reaquecem no forno, 34% a comem fria (Adorooo) e 29% a esquentam no microondas
– Nos EUA, 49% comem pizza 2 ou 3 vezes ao mês, 27% 4 ou mais vezes, 22% uma vez e 2% não comem pizza. Tsc tsc!

Quando faço pizza para muitas pessoas, geralmente pré-asso as massas para que os discos estejam prontos e, então, somente as monte na hora de ir para o forno.
Pré-assando as massas de pizza, elas não terão as bordas mais salientes.
Quando você monta a pizza sobre a massa crua, os lugares onde não tiver molho, serão os que mais vão crescer.

Vamos à receita básica:
– +/- 1 kg de farinha de trigo
– 1 colher de sopa de sal
– 1 colher de sopa de açúcar
– 3 colheres de sopa de azeite de oliva
– 2 sachets de fermento biológico instantâneo
– +/- 600ml. de água morna.

Se quiser fazer uma pizza mais elaborada, substitua 200gr. de farinha de trigo por 200gr. de semolina. O que muda? A massa fica mais crocante e com uma textura um diferente, bem melhor. Se não tiver semolina, não se desespere! O resultado será bom mesmo assim!

Preparação na mão:
Em uma bacia ou tigela coloque a agua morna, o sal, o açúcar e o azeite de oliva. Misture bem.
Coloque aproximadamente 2 xícaras (ou um pouco mais) de farinha previamente peneirada e misture com uma colher de pau ate obter um mingau grosso.
Adicione o conteúdo dos dois pacotinhos de fermento.
Vá adicionando a farinha de trigo obter uma massa que você possa virar sobre uma superfície enfarinhada e sovar.
Sove a massa até que esteja elástica, porém não muito dura e seca. Até que não esteja mais grudando nas mãos.
Devolva-a para tigela e cubra-a com um pano de prato úmido.

Espere que dobre de tamanho.
Faça bolinhas um pouco maiores que uma bola de tênis. Essa quantidade de massa vai render de 6 a 8 discos mais ou menos.
Polvilhe a superfície com farinha de trigo e farinha de milho. Abra a massa com um rolo dando o formato redondo da pizza.

Vamos à preparação!

Método 1 – Placa Cerâmica (pedra) no Forno
Aqueça o forno na temperatura máxima com a placa cerâmica dentro. Se você a tem, você provavelmente tem também a pá do pizzaiolo. Polvilhe um pouco de farinha de milho sobre a pá e coloque a massa da pizza já aberta sobre ela. Coloque o molho e adicione os ingredientes de sua preferência.
Leva ao forno bem quente inclinando um pouco a pá, fazendo com que a pizza deslize sobre a pedra.

Método 2 – Forma
Aqueça o forno na temperatura máxima. Borrife um pouco de azeite de oliva na forma. Eu sempre espalho com um papel toalha ou um guardanapo mesmo.
Coloque a massa sobre a forma, acomode as bordas enrolando o excedente para dentro. Se quiser rechear com requeijão, esse é o momento! Claro, não se esqueça de abrir a massa pelo menos 5 cm a mais.
Coloque o molho e adicione os ingredientes de sua preferência.

Método 3 – Pré-assar
Aqueça o forno na temperatura máxima. Eu sempre uso isso para quando tenho grupos mais volumosos em casa. Razão? Simples: posso passar mais tempo com meus amigos!
Se usar a pedra cerâmica, faça o mesmo procedimento do Método 1, só que sem molho nem ingredientes. Com um garfo, espete a massa para que o vapor formado internamente possa sair e ela não vire um travesseiro no seu formo. Acredite, isso pode acontecer!
Se usar a forma, o mesmo procedimento, sem molho ou ingredientes.

Para pré-assar a pizza, você não vai precisar mais do que 1-2 minutos. Ao tirá-la do forno, coloque-a sobre uma grade ou grelha, para que possa esfriar rapidamente, sem que o vapor umedeça as demais (se for colocar uma sobre a outras).

Depois é só montar e assá-la em forno ultra mega quente!

Algumas sugestões de pizzas nada tradicionais:
Sejamos criativos e provemos algo diferente!

– Molho de Tomate, Mozarela, Ricota Temperada, Rúcula e Bacon
– Molho de Tomate, Mozarela, Queijo Pecorino-Romano ou Parmesão e Cebola Roxa cortada bem fininha
– Molho de Tomate, Mozarela. Salmão Defumado, Pimentão Verde cortado em tirinhas
– Creme de Leite temperado, Mozarela, Presunto picadinho, milho.
– Molho de Tomate, Mozarela, Vôngole
– Molho de Tomate, Carne de Costelinha de Porco cozida e desfiada, Queijo Gruyere, Cebolas Caramelizadas e Rúcula
– Molho de Tomate, Miolos de Alcachofras, Tomates, Queijo Feta ou Mozarela, Copa picadinha e Champignons Paris ou Portobello frescos.
– Molho de Tomate, 3 Queijos (Mozarela, Provolone e Parmesão) Carne de Porco assada e desfiada, Alho assado, Molho Barbecue.
– Molho de Tomate, Mozarela, Fatias de Presunto dobradas com requeijão no meio, Champignons em conserva

Bom, meus queridos, agora…mãos á obra! Espero que tenham gostado!
Qualquer dúvida, postem aqui!
Beijo grande!

Leave a Reply