Quer conhecer minha cozinha?

Há duas semanas, nos mudamos para outra casa aqui em Orlando.
Saímos de uma casa num bairro chamado Doctor Phillips para uma “townhouse”, tipo sobrado em Metrowest.
Arrumando tudo o que trouxe da casa anterior, me deparei com o seguinte dilema:
Onde e como arrumar as coisas de cozinha. Sem contar que o cômodo que produziu mais caixas foi a cozinha! Confesso que senti uma pontinha de orgulho nisso!

Primeiramente, abri todos os armários para verificar o quanto tinha de espaço.
O que aparentemente é uma tarefa simples, resulta não ser tão fácil quanto parece ser.
Na casa anterior, a distribuição foi orgânica, e não tão estudada ou pensada.
A única coisa que levei em consideração foi a divisão das áreas da bancada de acordo com as tarefas a serem desempenhadas nela e a acessibilidade aos armários de acordo com as atividades.

Na casa “nova”, tenho menos bancada e talvez, menos armários. A grande vantagem dela é que é aberta, fazendo com que a integração dos ambientes seja perfeita! Você pode estar cozinhando sem que dê as costas aos seus convidados ou fique distante, coisa que é bem comum no Brasil. Ainda bem que essa dinâmica está sendo assimilada pelos arquitetos! Ufah!

Bom, vamos lá! Resolvi dividir a bancada em setores, ou “workstations”!
A bancada forma um “L”. No canto da esquerda, resolvi colocar todos os equipamentos para preparar café. Só que me dei conta de que somente isso já trazia uma parafernália que ocupava um bom espaço: Máquina de Espresso, Moedor de Café, Cafeteira, French Press e os acessórios de cada um deles.
Mas não adianta… Eles têm que estar acessíveis a qualquer momento! E depois que comecei a me interessar por café, tipos e preparação (e consequentemente os resultados), mais ainda. Não abro mão dele de jeito nenhum! Por isso que os coloquei em um lugar de destaque na minha cozinha nova!

Okay, uma vez resolvido o problema de “onde fazer o café”, agora tinha que achar lugar para a “baking station”, que é o lugar onde tenho a batedeira, máquina de pão, torradeira e forninho elétrico para pequenas tarefas que não requeiram aquecer um forno grande. Bom, foram para a outra esquina da cozinha, ficando as panelas Le Creuset em um canto, e os demais aparelhos alinhados!

Ainda coube um pote para utensílios que consegui trazer do Brasil. Também Le Creuset. Sim, eu tenho uma “coisa” com Le Creuset!
Ou seja, naquele cantinho é onde faço pães, bolos, tudo o que precise da batedeira, massas de pizza, enfim, tudo o que vai terminar inevitavelmente no forno!

Essa batedeira é sem duvida o melhor investimento que poderia ter feito. Havia um bom tempo não tinha “sonhos de consumo” até que pus meus olhos nela. Claro que no Brasil jamais pensaria em adquiri-la devido ao seu alto valor. E olha que é tabelado!!!
Tudo, sem exceção, tudo o que é feito nela tem um resultado melhor… não sei, uma textura melhor. As massas de pizza e pão mais elásticas e fáceis de trabalhar e os bolos mais aerados. Ela é um chumbo, pois o corpo dela é feito de aço. Além do que, ela é a batedeira usada em todos os programas de culinária aqui nos Estados Unidos. Ela ainda tem vários acessórios, como um para fazer sorvete, outro para massas, moedor de carne com acessório para linguiças, espremedor de frutas, moedor de grãos, e por ai vai. Vale muito o investimento! Sem dúvida! Não é Ana Paula Henemann?

Uma coisa que é sempre bom ter a mão: utensílios mais usados no seu dia-a-dia. Não tenho muita paciência para ficar procurando em gavetas ou portinhas e armários. Pelo menos as colheres de pau, espátulas de silicone, pincéis de silicone e pinças (também de silicone), batedor de arame e escumadeiras. Tenho-os sempre acessíveis no pote que havia mencionado anteriormente. Além disso, tenho “Herbes de Provence”, um dos meus temperos favoritos naquele potinho dourado que imita uma lata, presente da Ciça Oliveira. Descobri que existe uma linha completa deles!

É claro que tenho minha gaveta da bagunça! E como ainda não terminei de organizar tudo, o que significa não ter comprado divisórias para a gaveta e guardar cada objeto no lugar certo, tenho todos os demais cacarecos espalhados nela! Aquela peça laranja em formato de “meia-lua” é um cortador de pizza de Mario Batali, que trouxe de NYC, de uma loja chamada Sur La Table, é prático e super charmoso. Também tenho meus medidores de xicaras, sem os quais não vivo, abridores de latas, colheres de medida, peneiras pequenas, facas, uma pinça, descascador de vegetais, acendedor de velas, conta-gotas para azeite de oliva, saca-rolhas, e no cantinho superior, não sei se conseguem ver, os cortadores de bolachas (ou “bixcoitos”) dos personagens do Star Wars, presente do Japa e da Gorda. Isso é o que chamo de minha bagunça organizada! E atire a primeira pedra quem não tem a sua!

Ah, os temperos… onde colocá-los? Esses foram os mais fáceis de escolher um lugar: o mais próximo do fogão possível. Da mesma forma como açúcar, fermento, farinha de trigo, chocolate em pó foram para o armário sobre a batedeira. Consegui colocar todos os temperos formando uma espécie de “escadinha” fazendo com que eles ficassem fáceis de serem retirados e postos de volta. Vocês devem estar se perguntado o que é que eu tenho ali. Fácil: Curry, Tempero para Carnes, Tempero para Pizza, Açafrão-da-Terra (cúrcuma), uma latinha de Aliche, Sal Rosa do Himalaia, Pimenta Chinesa, “Trufas de Verano” (presente da Carlota Saiva), Orégano, Folhas de Louro, Tempero Completo (okay, podem criticar), Lemon Pepper, Páprica, Spray de Manteiga (da vontade de passar no corpo, juro!), Cubos de Caldo de Carne e Frango para momentos de desespero, Salsinha desidratada também para momentos de crise e desespero, Azeite de Dendê (pasmem, tem aqui SIM), Tempero Cajum e Shiitake seco… Acho que é isso!

Devo confessar que estava apreensivo com a cozinha e os eletrodomésticos, que aqui já fazem parte da casa. Celso, meu amigão aqui e também dono da casa, me havia dito que não sabia em que condições os eletrodomésticos se encontravam. Para minha surpresa, o fogão estava nada menos que perfeito! E, além disso, é muito melhor do que o da casa anterior! Vejam os queimadores maiores na frente: você pode escolher o tamanho que quiser do queimador de acordo com o tamanho de sua panela! Sim, aqueles 3 anéis. Ao fundo, entre os dois queimadores menores, ainda há uma parte para “manter os pratos aquecidos”. PERFEITO! Ele é rápido, eficiente e com excelentes resultados. Não espere fazer um stir-fry onde você vai inevitavelmente precisar de chama forte porque você não vai ter!

Bom, agora que já estamos com tudo caminhando e o furacão “mudança” já passou, volto ao Blog com força total!

Para a semana que vem, vou revisitar um tema que adoro: “Ideias para receber os amigos em casa”!

Abração a todos!

 

Leave a Reply